Como forma de protesto, transexuais ocupam banheiros da Alesp

Ato foi motivado por causa de declaração transfóbica de Douglas Garcia (PSL)

Publicado em 14/04/2019
Transexuais fazem ato de protesto na Alesp
Participantes entregaram carta de repúdio aos 94 parlamentares. Foto: Alma Preta

Cerca de dez mulheres trans e travestis ocuparam os banheiros da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na quinta-feira 11.

Curta o Guia Gay São Paulo no Facebook

A ação foi mostra de repúdio à declaração transfóbica do deputado Douglas Garcia (PSL), que disse no último dia 4 que "tiraria a tapa" mulheres trans que estivessem no mesmo banheiro que sua mãe.

Mais
>>> 'Arranco a tapa', diz deputado sobre transexuais em banheiro feminino
>>> Sob ameaça de vídeo de sexo, Douglas Garcia assume ser gay

De acordo com o site Alma Preta, as participantes do ato entregaram carta de repúdio a Garcia e de apoio à deputada trans Erica Malunguinho (Psol) no gabinete dos 94 parlamentares. O documento foi assinado por mais de 180 movimentos sociais.

"É fortalecer a visibilidade de uma pessoa não cisgênera, uma pessoa T, que pode ser travesti ou transexual, ocupando um espaço, principalmente político, que infelizmente não é posto para a gente", disse, à reportagem, Jhoweny Orun de Miranda, integrante da Marcha das Mulheres Negras e do coletivo Transformação.

Malunguinho comemorou. "Lindo de ver mais de 180 organizações e entidades se posicionando contrária, fazendo um manifesto, um repúdio em relação à violência, ao discurso de ódio e violência proferido pelo deputado."

Após a fala preconceituoso do deputado, o Psol afirmou que iria abrir ação contra ele por quebra de decoro parlamentar.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.