ELEIÇÕES
Informações para que você e toda comunidade LGBT votem de forma consciente

Gay e da Zona Leste, Professor Robson quer ser deputado federal

Dentre suas bandeiras está defesa de liberdade de ensino nas escolas e saúde integral para LGBT

Publicado em 28/08/2018
Assumidamente gay, Professor Robson Salvador é candidato a deputado federal pelo Psol por São Paulo. Confira entrevista
Candidato defende criação de cotas para trans em serviços públicos e universidades

Professor universitário de ensino público e privado e assessor pedagógico, o Professor Robson Salvador é candidato pelo Psol a deputado federal por São Paulo.

Curta o Guia Gay São Paulo no Facebook

Assumidamente gay e com 33 anos, o candidato nasceu e foi criado na região de Vila Nhocuné e Artur Alvim, na Zona Leste de São Paulo.

Militante LGBT desde a adolescência, Robson é filiado à Aliança Nacional LGBTI+ e luta por uma "escola sem mordaça". 

Entende que reformas como a trabalhista, da previdência e a terceirização devem ser apreciadas pela população por meio de plebiscitos, para maior abertura da democracia direta.

Esta é a primeira vez que disputa uma eleição. Confira a entrevista que o Guia Gay São Paulo fez com o candidato:

O Brasil é um dos países mais avançados do mundo em relação à proteção e legislação pró-LGBT, mas ainda há desafios para a cidadania arco-íris. Quais suas propostas para que o Brasil avance nessa questão?
Lutarei pela tipificação da LGBTIfobia, alteração do conceito de família, para que contemple toda a diversidade e modalidades de famílias brasileiras, e para criar um plano de metas para redução de mortalidade por aids na população LGBTI e heteronormativa.

Dentre outros pontos também estão a ampliação de ambulatórios voltados para a população trans e obrigatoriedade em cidades com mais de 300 mil habitantes, com disponibilidade de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) para pessoas que residem em municípios sem ambulatório trans.

Saúde integral para pessoas LGBTI+ com fortalecimento da rede de saúde mental, despatologização da transexualidade. Além de enfrentar a epidemia de HIV/aids e demais IST (infecções sexualmente transmissíveis).

Buscar a implantação nacional de um programa similar ao 'Transcidadania' da cidade de São Paulo para todo o país criando cursos de formação técnica/profissionalizante a fim de garantir ofertas de empregos para pessoas trans.

Também criação de cotas no serviço público federal, estadual e municipal para travestis e pessoas trans; cotas de diversidade sexual e de gênero (com ênfase em travestis e transexuais) em empresas, modelo semelhante à cota dos portadores de deficiência, com obrigatoriedade variável em faixas de tamanho de empresas; e cotas para travestis e transexuais nas universidades públicas e privadas. 

Quais são seus projetos para a população brasileira em geral?
Lutar contra a Base Nacional Comum Curricular, desenvolvimento das habilidades e competências socioemocionais, Escola sem mordaça.

Outros projetos são em torno da revogação de medidas do governo ilegítimo Michel Temer, da liberdade de expressão, opinião, mídia, publicidade e imprensa e a proteção a grupos minorizados e minorias.

Votar em você é ajudar a eleger pessoas do seu partido e da sua coligação. Quais são esses partidos? Qual o compromisso deles com a cidadania LGBT?
Psol e PCB são os partidos com mais pautas, visibilidade e candidatos LGBTI+.

Essa entrevista faz parte de série do Guia Gay São Paulo com candidaturas de LGBT. O objetivo é dar visibilidade as suas propostas, partidos e coligações de forma a colaborar com a decisão do segmento arco-íris e simpatizantes na hora do voto.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.