Roteiro de Baladas

Cidade brasileira com o maior número de baladas LGBT do País, São Paulo viu sua cena se transformar temporariamente com a pandemia.

Alguns endereços permanecem fechados. Os clubes que estão operando funcionam apenas como bar e em horário de happy hour.

Todos os lugares divulgam que cumprem normas de distanciamento de mesas, disponibilizam álcool gel e que estão com as pistas de dança fechadas.

Sputnik Bar
Com decoração retrofuturista, espaço está abrindo como restaurante e bar e oferece karaokê.
Largo do Arouche, 330, República.
Quinta a domingo e feriado, 17h às 23h.
Gratuito.
Terraço Club
No agitado cruzamento gay da Peixoto com a Frei, espaço está aberto como bar durante a pandemia.
Rua Frei Caneca, 914, Consolação.
Sexta e sábado, 16h30; domingo, 15h30.
R$ 40 (open bar). 
The Week [TEMPORARIAMENTE FECHADO]
Famosíssimo fora do País, o clube gigante atrai descamisados e diversas outras tribos semanalmente.
Rua Guaicurus, 324, Vila Romana
Sábado, 23h30; domingo (quinzenalmente), 17h.
Gratuito a R$ 60 (homem) e R$ 80 (mulher). 
Tokyo
Complexo com vários ambientes está aberto como karaokê durante a pandemia.
Rua Major Sertório, 110, Vila Buarque.
Quarta a sábado, 18h; domingo, 16h.
Tunnel
Mais antiga balada gay de São Paulo está aberta como espeto bar durante a pandemia.
Rua dos Ingleses, 355, Bela Vista.
Quinta e sexta, 18h às 23h; sábado e domingo, 15h às 22h.

Parceiros:Lisbon Gay Circuit Porto Gay Circuit
© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.