Gay é expulso de pool party por usar sunga 'indecente'

Após repercussão, política da festa, em Las Vegas, mudará e passará a permitir essa vestimenta

Publicado em 08/08/2018
Gay é expulso de festa por sunga indecente
Publicação de Chris Donohue viralizou na internet

Um homem divulgou nas redes sociais a expulsão que sofreu em uma pool party em Las Vegas, Estados Unidos, por estar usando sunga.

Curta o Guia Gay São Paulo no Facebook

No Facebook, Chris Donohue publicou o vídeo relatando o episódio ocorrido no Encore Beach Club, no último fim de semana.

"Ontem fui expulso do Encore Beach Club por ser gay", escreveu o homem na legenda do vídeo, que teve mais de 140 mil visualizações.

"Fui obrigado a deixar a piscina por usar uma sunga Mr. Turk que eles disseram não estar "em integridade" com a marca da festa na piscina", disse. "Em outras palavras, fui expulso por ser um homem gay vestindo uma roupa de banho que era um pouco gay demais para o The Beach Club Encore de Las Vegas tolerar."

"Eu fiquei acordado a noite toda porque não consegui dormir por estar tão chateado. Eu chorei muito", lamentou Donohue.

No vídeo, Donohue conversa com o segurança sobre o motivo da equipe da festa pedir para que ele saísse.

Donohue argumenta que a norma da festa é "sem Speedos", mas tecnicamente ele está vestindo uma sunga de uma marca diferente.

Ele diz: "Tanto quanto eu entendo, a política é sem Speedos e essa não é uma Speedo. Então, na verdade, não entendo por que estou sendo recusado.

O segurança responde, no vídeo, que é contra o código de vestimenta da festa usar um maiô como o que Donohoe está usando.

 

Nos Estados Unidos, a palavra "speedo" é entendida muitas vezes como sinônimo de sunga e não apenas para a marca exata da sunga (assim como usamos a palavra Band-Aid para falar de curativos por aqui).

Após a repercussão do vídeo, Michael Weaver, presidente do Wynn Resorts, onde a festa foi realizada, disse que "para manter uma experiência de cinco estrelas, o Wynn Las Vegas solicita que os hóspedes cumpram determinadas políticas de código de vestuário em todo o resort".

"No Encore Beach Club, tínhamos uma política, claramente colocada na entrada, que proibia speedos. Ao receber uma reclamação, analisamos a política e a alteramos."

"A nova política permitirá speedos, mas proibirá roupas de banho indecentes para homens e mulheres. Incluiremos a nova política na sinalização de entrada, bem como no site do clube."

"Com relação aos convidados LGBTQ+, nossa política tem sido clara e consistente por anos", explicou. "A Wynn dá as boas-vindas e aprecia todos os nossos hóspedes LGBTQ+. As decisões para aplicar as políticas são baseadas unicamente no comportamento do hóspede ou, neste caso, no vestuário. Nós continuaremos a aplicar políticas de vestuário igualmente a todos os nossos convidados, independentemente da orientação sexual."


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.