Ex-Pânico, Erick Ricarte conta que sofria homofobia no programa

Gay assumido, ator foi demitido ao vivo e passou dois anos em depressão; hoje, está contratado por afiliada da Record

Publicado em 11/09/2018
Erick Ricarte: gay assumido, ator sofreu homofobia no Pânico e deu a volta por cima na TV Atalaia
Ricarte hoje comanda 'A Hora do Venenoso' na TV Atalaia, de Sergipe

Ex-integrante do programa Pânico, Erick Ricarte diz que sofreu com discriminação dos outros integrantes da atração.

Curta o Guia Gay São Paulo no Facebook

"De fato, eu sou gay, nordestino e gordo, mas no ar eles pegavam muito pesado. Eu tentava levar na esportiva", contou Ricarte ao Notícias da TV.

Ricarte trabalhou, entre 2014 e 2016, tanto na versão televisiva da atração (que foi extinta), na Band, quanto na radiofônica, na Jovem Pan.

Ele diz ter sido vítima de "ataques homofóbicos, xenofóbicos e gordofóbicos". 

"Quando eu saí, o Pânico já estava ladeira abaixo. Hoje, é um programa que ninguém mais lembra que existe, ninguém comenta, ninguém quer fazer parte. Eles perderam muito o foco e a notoriedade, não tem mais o respeito do público."

Ricarte diz que chegou a pensar em processar o programa por direitos trabalhistas. Nos dois anos em que esteve no ar, o humorista ganhava apenas ajuda de custo de R$ 1.500, que ele diz que dava apenas para pagar o aluguel.

Ele foi demitido no ar e sequer pôde voltar a entrar na rádio para pegar as suas coisas. Deprimido, passou a usar remédios controlados e engordou 20 quilos.

Ricarte conta que uma das maiores decepções foi Emilio Surita que o tratava como filho e depois deixou de falar com ele. 

Agora, o ator de 27 anos deu a volta por cima. Ele foi contratado pela TV Atalaia, afiliada da RecordTV em Sergipe, e apresenta A Hora do Venenoso, versão local do quadro que a jornalista Fabíola Reipert faz com sucesso na emissora em São Paulo.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.